quinta-feira, 2 de abril de 2009

Bagulhar


Este espetáculo é resultado do Projeto “Vagabundos, Malandros e Outros Errantes” contemplado com o Prêmio Funarte Petrobrás de Estímulo ao Teatro, retrata o cotidiano dos moradores de rua sob a ótica de dois palhaços. Bagulhar, segundo a definição de Cristóvan Buarque no livro Admirável Mundo Atual, é o ato de revirar o lixo, os bagulhos, na busca de encontrar material que sirva para ser reciclado, ré-aproveitado.

Foi isso que fizemos durante todo o processo de montagem do espetáculo: bagulhamos. Na literatura, encontramos Dom Quixote e Carlitos seguimos até encontrar o Lazarilho de Tormes, primeiro romance picaresco de que se tem notícias. Nas ruas de Brasília, bagulhamos procurando material humano para nutrir nossas experiências, ampliar nossa visão e gerar um espetáculo de teatro encenado por palhaços.

Buscamos aprender com o ser humano em situações limites, quando a vida exige que, para continuar a ter direito a ela, as pessoas sejam, no mínimo, criativas, corajosas e cúmplices em seus grupos de convivência.

Dessa experiência surgiram as histórias de Ogro e Micróbio, figuras tragicômicas que vivenciam, em suas jornadas, de um lado, a aridez da vida, de outro, histórias fantasiosas, fazendo rir de suas desgraças e atitudes desastradas. Mas não é um riso que se compraz com as desventuras do próximo. É antes um riso de compaixão, de solidariedade. Tocando o universo dos sentimentos humanos.


Ficha técnica:
Em cena: Elison Oliveira e Zé Regino
Direção: Denis Camargo e Ana Flávia Garcia
Figurinos: Laura Cavalheiro e Zé Regino
Fotos: Carlos Reis e Thiago Sabino
Duração: 80 min.


Considerações:
O espetáculo foi concebido originalmente para o público adulto, indicado para maiores de 12 anos.


Realização:
Celeiro das Antas


Bagulhando entre Itália e Alemanha

O Grupo de Teatro Celeiro das Antas Companhia do Riso, encerrou sua participação no Projeto Roda Mundo, uma ação de intercâmbio artístico-cultural em que os processos criativos foram impulsionados pelo diálogo entre culturas e pelo encontro entre os participantes, dentro de uma ética de colaboração e articulação de interesses comuns.

A idéia “Roda Mundo” começou a ser gerada em 1998, com a realização do primeiro Encontro de Linea Trasversale, na cidade de Pedro Leopoldo, Minas Gerais. Motivados por este Encontro, alguns participantes decidem dar seqüência à prática do intercâmbio de experiências como possibilidade de reflexão, reconhecimento e aprofundamento criativo e artístico. Desde então, diversas ações, projetos e parcerias profissionais foram realizadas coletivamente, como a organização de outros Encontros de Linea Trasversale, no Brasil e a criação da Aliança Terceira Margem, agrupamento de artistas para o estudo e prática da arte do palhaço.

Em doze anos de existência, já foram realizados encontros em 15 países diferentes, dentre eles a Itália, Escócia, Alemanha, Costa do Marfim, Ilha de Malta e Brasil. Dentro de sua proposta fundamental de itinerância, em 2007 Linea Trasversale desenvolveu encontros e atividades que tiveram início em março, no Amazonas, e concluídas em agosto, em Malta. É neste contexto que organizou o Festival de Teatro de Rua em Reggio Calábria, (Itália) e os Encontros do Línea Transversale em Lamezia, Úmbria, Abruzzo, Napoli (Itália), Berlim e Coburg (Alemanha) e Valletta (Malta).

A viagem teve início em 01 de junho de 2007, em Lamezia Itália com a participação na XV Sessão da Universidade de Teatro Eurasiano, coordenada por Eugênio Barba e Cláudio La Câmera.


Roda Mundo

Nas cidades de Lamezia, Úmbria, Abruzzo, Napoli e Reggio Calábria, regiões da Itália e em Berlim na Alemanha, o Celeiro das Antas, apresentou o espetáculo Bagulhar, com grande aceitação da crítica e do público. Participando também de seminários, intervenções coletivas em hospitais, asilos para velhos, ruas e praças. Na cidade de Berlim, José Regino e Elison Oliveira coordenaram uma oficina para atores profissionais, sobre o tema “O Desempenho do Ator na Construção do Riso”, resultado da pesquisa de Mestrado feita na Universidade de Brasília pelo palhaço José Regino.

As ações da companhia dentro do projeto Roda Mundo, tiveram como conseqüência uma série de convites para retornar às cidades e regiões com espetáculos e oficinas. Os laços se estreitaram entre realidades distintas que tem em comum o fazer teatral e a busca da compreensão desses fazeres e suas diversificadas relações entre os artistas que produzem e as comunidades que ele busca alcançar.


Fotos Carlos Reis




Fotos Thiago Sabino


Contatos:

Para contratar este espetáculo fale com:
celeirodasantas@gmail.com

José Regino: (61) 8137.9938 zeregino@gmail.com
Magê: (61) 3354.1751 – 9988.2399 mage.1@terra.com.br
André Lima: (61) 8180.8080 alalaqui@gmail.com


Nenhum comentário: